Acontece: Kraut e Kenny enfrentam violações recentes por uso de substância controlada pela FEI


A amazona olímpica Laura Kraut, de Royal Palm Beach, Flórida, ficou confusa quando recebeu, em data próxima ao Natal, uma notificação por infração administrativa da Federação Equestre International pelo uso de substância lidocaína/ hidroxilidocaína.

A notificação ocorreu cerca de seis semanas após o Washington International Horse Show CSI-W, realizado nos dias 25-30 de outubro de 2016, em Washington, DC, onde o animal holandês de 12 anos de idade, Andretti S (Corland-Tabelle S, Animo) foi testado Positivo para as substâncias proibidas. Ambas as substâncias são consideradas agentes anestésicos locais.

Quando recebi a notificação, não pude imaginar o que aconteceu“, disse ela. “Então meu tratador começou a se perguntar se talvez foi um creme que ele comprou.”

O tratador, que Kraut optou por não dizer o nome, é da Inglaterra, e quando Andretti S apresentou o pequeno corte, ele foi para a farmácia local e pegou o que ele acreditava ser um produto equivalente nos EUA de um creme que ele usou na Inglaterra.

Ele foi e encontrou o tubo. Ainda tínhamos aqui. Infelizmente, ele tinha lidocaína, e ele usou, e foi isso o que aconteceu “, disse Kraut. “É realmente um creme de hemorróidas, mas creme de hemorróidas na Inglaterra não contém esses ingredientes. Ele se sente terrível, é um tratador maravilhoso, maravilhoso e absolutamente não sabia que podia causar algum dano. Na verdade, ele estava fazendo o que achava ser a coisa certa a fazer para cuidar do cavalo, e por isso é uma pena, mas essas são as regras.

Kraut foi obrigada a devolver qualquer prêmio em dinheiro, e nenhuma outra ação foi tomada.

A regra é que o cavaleiro é o responsável final, e eu provavelmente deveria ter olhado para ele e verificado, mas eu não fiz, então esse foi o meu erro. Penso que a FEI está lidando com isso tão bem como pode”, disse ela.

Darragh Kenny, cavaleiro da Irlanda, mas que reside em Wellington, Flórida, também recebeu uma notificação de violação em 28 de novembro de 2016, quando seu animal Bolero, de  10 anos, um Warmblood belga (Chatman-Walentina van’t Mertens E, Darco), testou positivo para altrenogest durante o CSI de Vilamoura *** em Portugal, 27 de setembro-outubro. 2, 2016.

Foi uma infração menor“, disse ele. Foi considerado como “substância controlada” porque não é realmente ilegal.” Altrenogest é um hormônio tipicamente dado a éguas para suprimi o estrogenio.

O único problema foi que um dos meus tratadores alimentou a um animal castrado em vez de uma égua, por acidente. Os baldes de alimentação se misturaram e o cavalo pegou o alimento errado, e por causa disso eu acabei ficando um teste positivo para um cavalo que eu estava pulando em classes de 1,35 em um pequeno show em Vilamoura “, disse Kenny.

Fonte: www.chronofhorse.com


Se gostou compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são necessários *

*

Paste your AdWords Remarketing code here